Segundo a UNESCO são publicados, em média, 2,2 milhões de títulos por ano em todo o Mundo, sendo que 49% o são por autopublicação. Contudo, e de acordo com a Forbes, apenas 1% a 2% dos livros (referentes aos 2,2 milhões) é que criam impacto no segmento de mercado a que se destinam. Ou seja, embora exista um número considerável de publicações disponível, muitos dos títulos não cumprem o propósito de chegar aos leitores para que, através da leitura, possam responder às suas necessidades.

Antes de avançar, quero dizer-te que só é contabilizado como publicação um título que tenha um International Standard Book Number (ISBN) associado. O ISBN é o número de identificação de um livro em específico editado por uma editora – mesmo sendo por edição de autor – e numa certa língua (da mesma forma que o número de identificação civil é único para cada um de nós).

Seja em ebook ou livro de capa comum (suporte papel), só é viável para fins estatísticos desta natureza um título que seja registado por uma Agência ISBN (em Portugal representado pela APEL).

Publicar um livro pode se tornar numa verdadeira odisseia, pois o maior desafio pode nem ser escrever um livro, mas posicioná-lo no mercado para que, efetivamente, cumpra os seus objetivos.

Na sequência da afirmação anterior, Brian Tracy assegura que, num processo de publicação, “5% equivale à escrita do livro e 95% ao marketing”.

Embora considere que a escrita de um livro de qualidade é, sem sombra de dúvida, um dos critérios para o sucesso da obra, é necessário garantir outros pontos de igual importância. Há, inclusive, profissionais ligados ao marketing de livros, como Andréa Albright, que defendem que, antes sequer de iniciar a escrita de um livro, o autor deve fazer um trabalho de pesquisa. Esta inclui pesquisar no mercado as reais necessidades das pessoas, respondendo, por exemplo, a estas perguntas: Que respostas procuram os leitores? Que dilemas querem resolver? Que temas e subtemas são mais pesquisados?

Pessoalmente conheço livros de extrema qualidade, mas que não vendem o valor que possuem. Não tem que ver com a qualidade literária, mas com a forma como o autor está disponível para defender e promover a sua obra. Um livro não promovido é um livro esquecido!

Da mesma forma, já li livros cujo conteúdo considerei muito aquém da expetativa criada pelo marketing.

Eis aquilo em que acredito
Acredito que o melhor é garantir o equilíbrio entre a qualidade da obra e o marketing que se faz da obra. Por um lado, ter um livro escrito com qualidade, que crie real impacto em que o lê, é crucial para o propósito do autor e da sua obra; por outro, levar as pessoas até à obra, neste caso através do marketing, é determinante para que esse mesmo propósito se efetive.

Um livro não é uma evidência quando está escrito e publicado. Um livro é uma evidência quando alguém o lê.

Escrever um livro de topo sem uma boa promoção não é suficiente, da mesma forma que fazer um bom marketing sem que a obra seja de topo também não é suficiente.

Portanto, se já pensaste em escrever um livro, ou se já o estás a fazer, é essencial que o realizes da melhor forma. Enquanto mentor de autor, tenho a legitimidade para te dizer que o modo como desenvolves o teu livro é determinante para o sucesso do teu livro.

Como já aqui salientei, escrever um bom livro não chega. Contudo, quero partilhar contigo algumas questões que podes fazer a ti próprio se pretendes, mesmo, que o teu livro cumpra o seu propósito:

  • Qual a minha intenção para publicar um livro?
  • Qual o tema e o subtema do meu livro?
  • Que necessidades têm os meus leitores?
  • Qual é o meu perfil do meu leitor? (Tenta ser específico)
  • Quais os livros publicados (deste tema e subtema) que têm tido mais impacto? (Considera autores portugueses e estrangeiros. Opta por analisar os comentários e não apenas as estrelas (rating). Sugiro fazeres uma pesquisa na Amazon, na WOOK e na FNAC)
  • Como pode o meu livro fazer a diferença? (É importante conheceres o máximo de obras que possam ter informação semelhante ao teu livro. Normalmente leio as sinopses e, quando possível, leio o índice. Na Amazon e na WOOK, por exemplo, consegues aceder a um extrato de algumas obras.)

São questões simples mas que te vão ajudar a iniciar ou a continuar a escrita do teu livro da melhor forma. É importante que tenhas a noção de que, diariamente, são publicados muitos livros em que alguns deles são sobre o teu tema. O que faz a diferença é a forma como o teu livro foi escrito e o modo como promoves a tua obra e te posicionas, assim, enquanto autor.

Se queres escrever um livro, ou mesmo se já estás nessa fase, convido-te a agendares uma sessão de esclarecimento gratuita diretamente comigo. Para tal, clica neste link: https://cesarferreira.pt/agendar 

Será um prazer ajudar-te na Jornada que é Escrever e Publicar um Livro!